• Dra. Cátia Castro

Parentalidade em tempos desafiantes



Se já houve um ano para integrar sugestões positivas para os pais, este foi um ano por excelência. Um ano que deixou muitos pais a enfrentar situações, com as quais nunca teriam sonhado em lidar.

Quem poderia imaginar que durante o ano de 2020, teríamos de aprender como desinfectar a mochila da escola? Criar uma rotina de máscara, lavar as mãos com maior frequência e usar álcool gel? Ou explicar o que é uma pandemia para uma criança?


Parentalidade num tempo de pandemia


O ano de 2020 e a pandemia de Covid-19 foram, ao mesmo tempo, uma oportunidade sem precedentes para mostrar como nos relacionamos com nossos filhos.

A maioria de nós durante o isolamento, teve mais tempo com as famílias, o que nos levou a reconsiderar algumas das principais perspectivas que mantemos em relação à nossa parentalidade.


Sugestões positivas de parentalidade


Quais são os benefícios que aprendemos e, o que podemos melhorar no ano novo?


1. Estamos mais dispostos a dar aos nossos filhos o benefício da dúvida.


As pessoas tendem dar-se o benefício da dúvida em quase todas as situações, questionando-se. Basta pensar na consciência e, realmente, na paciência que tem para si mesmo. Ao reflectir, poderá conhecer por exemplo: as intenções que levam a certos comportamentos que tem; os motivos do porquê fazer certas coisas; o seu próprio valor intrínseco, a forma rápida em se adaptar se der um passo em falso.


Então, é questionável quando critica ou zanga, sobre todas as situações menos boas do comportamento dos seus filhos. Assim como nós, nossos filhos precisam de espaço para ter um dia mau. Assim, sempre que necessário, podemos dar aos nossos filhos espaço para eles desabafarem, sem responder ou corrigi-los, simplesmente ouvindo-os e acolhendo-os.

Às vezes, pode significar dar-lhes alguma flexibilidade, para se encontrarem no meio do caos das suas próprias emoções e pensamentos, e podemos ajudá-los a pensar sobre as suas questões.


Os nossos filhos também têm os seus momentos, e se 2020 nos ensinou alguma coisa, é que dar o benefício da dúvida pode ser uma boa ferramenta para os pais, ajudando a desenvolver os nossos filhos para o seu futuro.


2. Estamos a aprender mais sobre os nossos filhos.


Uma das coisas mais tristes, embora mais comuns, que por vezes algumas pessoas ao descreverem sua própria infância dizem é: "Os meus pais gostavam de mim, mas nunca estiveram totalmente do meu lado." Alguns pais amaram e educaram, mas, num nível relacional profundo algumas das pessoas sentiram que existia uma distância fundamental, quando se tratava de coisas como defenderem os objectivos dos filhos, ouvindo os seus sonhos, ou dando um lugar seguro para estes poderem expressar o seu ponto de vista.


Como vimos em 2020, esse tipo de distância está-se a tornar cada vez mais contraproducente, pois procuramos ser os pais que desejamos ser para nossos filhos.


Em vez de criar distância entre nós e nossos filhos, podemos concentrar em:


- procurar conhecê-los conversando com eles

- brincando, reservando um tempo só para eles

- confiar

- presumir o melhor sobre eles

- defendendo-os

- respeitando-os.


Esse tipo de abordagem pode proporcionar o aprofundamento dos sentimentos de segurança e auto-estima dos nossos filhos, contribuindo para um bom desenvolvimento.

As crianças gostam de que saber que os seus pais estão do seu lado.

Sabermos estar em casa, no mesmo espaço que os nossos filhos, brincando e interagindo com eles, tentando conciliar horários de trabalho, deve ser um hábito para os pais. Não sendo um caso isolado durante os tempos difíceis.


3. Estamos a aprender a ser mais autênticos com nossos filhos.


As crianças são extremamente perceptivas, então existem situações em que por mais tentativas que façamos para esconder os verdadeiros pensamentos, emoções ou circunstâncias que as cercam, por vezes acabarão por desestabilizá-las mais, do que protegê-las.

Pode deixar seus filhos saberem o que está a acontecer na sua vida. Dentro dos limites do bom senso, é claro.

Se está a sentir:

- em baixo, porque um ente querido está doente, pode compartilhar

- mal, por ter falado mais alto no início do dia, peça desculpa abertamente à criança e explique o que aconteceu

- com dúvidas sobre algo, pode admitir que não tem todas as respostas.


Note-se que, ser autêntico não significa sobrecarregar seus filhos, com cada detalhe de sua vida. Pode significar simplesmente abrir a porta, para permitir que eles vejam o seu próprio processamento emocional. Longe de assustá-los, esse tipo de abertura poderá oferecer um modelo a seguir, enquanto processam seus próprios pensamentos e emoções.


E, conforme 2020 se aproxima do fim, ser um bom modelo parental em que os filhos podem aprender a gerir as suas emoções, a serem respeitados, serem amados e reconhecidos, pode ser o maior presente que podemos oferecer aos nossos filhos.


Marcação de consultas de psicologia: catiacastro.psicologia@gmail.com


Siga-me em

  • Instagram

© 2020 por CC Design. © Todos os direitos reservados.

BandeiraUK.png