• Cátia Castro

Ansiedade


De tempos a tempos toda a gente se preocupa ou se sente nervosa.

A ansiedade é uma reacção humana normal, todos nós sentimos ansiedade, e também sentimos ansiedade quando estamos perante situações de stress. Contudo, quando esta preocupação tem um carácter mais permanente, esta ansiedade persistente pode eventualmente piorar com o tempo.


Os transtornos de ansiedade podem prejudicar gravemente a capacidade da pessoa no funcionamento do seu dia-a-dia, no trabalho, em situações sociais, nos seus relacionamentos como os familiares e de amigos.

A ansiedade atravessa as várias faixas etárias: crianças, adolescentes e adultos.


Algumas pessoas com ansiedade descrevem por exemplo: "a minha mente está cheia de todo o tipo de pensamentos e imagens", "o meu corpo é só nervos", "sinto que estou quase a quebrar, não me consigo concentrar", "não consigo suportar o medo, assim que tenho medo, não consigo ver ou fazer nada, tenho medo que algo de extremo aconteça"...

Na perturbação de ansiedade, as pessoas são inundadas pela angústia, as suas emoções emergem e tendem a ter reacções negativas a esses sentimentos e situações desagradáveis. Frequentemente, as pessoas tentam lidar com essas reacções negativas evitando situações ou experiências que as deixam ansiosas.


A psicoterapia ajuda a que as pessoas possam identificar e gerir os factores que contribuem para a sua ansiedade, bem como procurar retomar o seu dia-a-dia com maior bem-estar.


Existem vários tipos de ansiedade, entre as quais:


- A ansiedade generalizada, que se caracteriza por uma preocupação persistente, ou sentimentos ansiosos, tendo um sentimento generalizado que algo de mau irá ocorrer. Os sintomas incluem a agitação interna, irritabilidade, tensão muscular, dificuldade na concentração, problemas de sono, e geralmente a pessoa sente que está no seu limite.


- A perturbação de pânico, é marcada por ataques de pânico, que incluem sintomas como sudação, tremores, dificuldades respiratórias, aumento da frequência cardíaca. Estes ataques acontecem sem aviso, e muitas vezes as pessoas sentem-se receosas que ocorra um próximo episódio, o que pode fazer com que a pessoa se restrinja nas suas actividades normais.


- Na ansiedade social, as pessoas têm medo de situações sociais nas quais se podem sentir envergonhadas ou julgadas, tendo receio de ser rejeitadas. Outros sintomas comuns incluem dificuldade em fazer amizades, evitam situações sociais, preocupando-se por dias antes de um evento social; quando estão num ambiente social, experienciam sensação de tremor, suor ou náusea.


- As fobias ansiosas, são medos intensos sobre certos objectos, ou situações que são angustiantes ou intrusivas. A pessoa reconhece que o seu medo é desproporcional à situação, contudo não consegue diminuir a sua ansiedade.


A ansiedade pode-se também desenvolver após um trauma físico ou emocional grave, como um desastre natural, acidente grave ou crime. Os sintomas incluem flashbacks do trauma, pesadelos e pensamentos assustadores, que interferem na rotina diária da pessoa por meses ou anos após a experiência traumática.


É importante reconhecer alguns sintomas, para saber que pode procurar ajuda, e procurar o seu bem-estar.


Para marcação de consulta: catiacastro.psicologia@gmail.com